FIXAÇÕES DINÂMICAS DE COLUNA

FIXAÇÕES DINÂMICAS DE COLUNA

As fixações (estabilizações) dinâmicas de coluna são procedimentos que estabilizam a coluna sem promover a fusão das vértebras adjacentes. São técnicas menos invasivas e muito efetivas quando existe necessidade de se estabilizar a coluna acometida pela doença. Por serem técnicas funcionais, isto é, não lesiona as estruturas normais da coluna, elas são menos invasivas, provocam menos dor no pós-operatório e permitem rápida recuperação se comparadas às cirurgias convencionais (fixação estática), também conhecidas como artrodeses vertebrais. Existem basicamente três tipos de fixações dinâmicas de coluna: baseadas em processos espinhosos (interespinhosos), baseadas em pedículos vertebrais e baseadas em corpos vertebrais (artroplastia).

  • A estabilização dinâmica baseada em processos espinhosos consiste em se introduzir um implante entre os processos espinhosos e/ou entre as lâminas vertebrais.
  • A estabilização dinâmica baseada em pedículos vertebrais consiste em se introduzir implantes metálicos nos corpos vertebrais através dos pedículos vertebrais e posteriormente unidas entre elas através de barras metálicas ou similares.
  • A estabilização dinâmica baseada em corpos vertebrais (artroplastia) consiste em se introduzir implante entre os corpos vertebrais após a ressecção do disco intervertebral doente.

ESTABILIZAÇÃO DINÂMICA BASEADA EM PROCESSOS ESPINHOSOS

Objetivo: estabilizar o seguimento motor da coluna instabilizada pela doença degenerativa da coluna e aumentar os diâmetros do forame intervertebral e do canal central.
Indicação: Espondilolistese (antero/retro) lombar de L2-L5 com instabilidade leve.
P.S.: normalmente é um procedimento associado à descompressão do canal vertebral e/ou foraminal (estenose de canal vertebral).

Exemplo de dispositivo interespinhoso (Coflex): aspecto radiográfico e modelo plástico

ESTABILIZAÇÃO DINÂMICA BASEADA EM PEDÍCULOS VERTEBRAIS

Objetivo: estabilizar o seguimento motor da coluna instabilizada pela doença degenerativa da coluna e aumentar os diâmetros do forame intervertebral e do canal central.
Indicação: Espondilolistese (antero/retro) lombar de L2-S1 com instabilidade moderada e severa.
P.S.: pode ser um procedimento “stand alone” ou associado à descompressão do canal vertebral e/ou foraminal (estenose de canal vertebral).

Aspecto ilustrativo do estabilizador dinâmico baseado em pedículo vertebral (esquerda) e acesso cirúrgico para implantação do dispositivo DYNESYS (direita).

Aspecto esquemático (esquerda) e radiográfico (direita) do estabilizador dinâmico baseado em pedículo vertebral (COSMIC MIA).

ESTABILIZAÇÃO DINÂMICA BASEADA EM CORPOS VERTEBRAIS (ARTROPLASTIA)

Objetivo: estabilizar o seguimento motor da coluna instabilizada pela doença degenerativa da coluna e aumentar os diâmetros do forame intervertebral e do canal central.
Indicação: Doença degenerativa do disco (lombalgia discogênica) após falha de tratamento conservador e procedimentos percutâneos.

P.S.: Desde o ano de 2000, quando realizamos as primeiras artroplastia de coluna no Brasil, nós não mais oferecemos essa técnica. Acreditamos que os estabilizadores dinâmicos baseado em processos espinhoso e em pedículos vertebrais são menos invasivas e mais seguras.